embeb src= "http://www.anos60.com/adagio/bach_air_on.wma"type="audio/mpeg"autostart"true" loop="true">

quinta-feira, novembro 03, 2005

Sonhos I





Sonho estender todos os meus ramos
Vazios de seiva,de folhas e de flores
Despidos de emoções como o Inverno
Até tocar em ti e ao teu amor

Encher-se-ão de tantas Primaveras
Prenhes de vida, com a seiva correndo
Não vão murchar nesta longa espera
Mas adormecer, sonhando docemente

E os meus ramos há tanto tempo secos
Vão acordar ao som de um cantar feito
Por mil pássaros de asas coloridas
Que soa fundo dentro do meu peito

As folhas rompem, abrem flores ardentes
E o sangue corre ao ritmo da paixão
E as borboletas de asas transparentes
Explodem vivas no meu coração

Zica Caldeira Cabral
31/10/2005

10 Comments:

Blogger Henrique Santos said...

E os meus ramos há tanto tempo secos
Vão acordar ao som de um cantar feito
Por mil pássaros de asas coloridas
Que soa fundo dentro do meu peito

Como gostei desta parte... dum todo maravilhoso...
Obrigada por este momento...
Bjinho Ricky

11:57 da manhã  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Zica

Flores
alguns ramos
"presos" nas tuas palavras
trazem consigo
o verso
o tempo deu-lhes a doçura
como a estrela
do primeiro sonho

Beijinhos

3:05 da tarde  
Blogger Manel do Montado said...

Já sabes que sou um incondicional deste cantinho.
O que dizer a mais um poema cheio daquilo que todos nós um dia já sentimos ou havemos de sentir?
A diferença é que há quem o consiga por em poema, eu não, mas gosto de ler e sentir o que estou a ler.
Beijos e parabéns

3:58 da tarde  
Blogger badger said...

«Os ramos secos...»
Se já antes gostava de passar pelo teu cantinho... agora e, cada vez mais, não passo sem uma espreitadela...

Mais um poema LINDO!!! Sonhos.... quem os não tem?!

6:11 da tarde  
Blogger claudia said...

Minha querida,
Mais um poema lindo!
Fico feliz por haver pessoas como você que sabem expressar-se tão bem, colocar em palavras tudo que sentimos...
Parabéns!
Bjs.

10:13 da tarde  
Blogger Flávia said...

Sinto a natureza sempre em tuas palavras. Pois que somos parte dela.
Adorei o poema.
Beijoks

12:56 da manhã  
Blogger Menina_marota said...

"...As folhas rompem, abrem flores ardentes
E o sangue corre ao ritmo da paixão
E as borboletas de asas transparentes
Explodem vivas no meu coração"

A vida... incondicionalmente a Vida em toda a sua explosão...

Gostei de ler-te! És de uma sensibilidade incrivel

Abraço carinhoso

6:41 da tarde  
Blogger António said...

Muito bem!
Clap...clap...clap...clap...clap...

Beijinhos

12:06 da manhã  
Blogger ernesto esteves said...

Lindoooooo!!!

3:51 da tarde  
Blogger TMara said...

estás/és bem romãntica, menina-mulher. Cuida-te bem. Bj de luz e paz

10:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home