embeb src= "http://www.anos60.com/adagio/bach_air_on.wma"type="audio/mpeg"autostart"true" loop="true">

sábado, maio 23, 2009




Dá-me vida, amor..............


Morro de fome
Por nao ter tuas palavras
Morro de frio
Por falta dos teus abraços
Morro de sede
Por falta dos teus beijos.
Seco por dentro
Por não ter o teu amor
Vem dar-me vida, amor
Vem saciar-me
Deixa-me ouvir a tua voz
Murmurar os teus segredos
Em voz doce
Vem dar-me vida, amor
Vem acordar-me
Com os teus beijos molhados
Do eterno desejo
Dá-me vida, meu amor.............


Sabado, 23 de Maio de 2009

Zica Caldeira Cabral

10 Comments:

Blogger carlos peres feio said...

deves ser uma "irmã miúda" dos meus amigos/as com o teu apelido!
diz coisas para
peresfeio@hotmail.com

bj cpf

12:27 da manhã  
Blogger direitinho said...

Bom dia Zica
Que bom vê-la de volta. Estava preocupado por não a encontar nestas e noutras paragens.
Deu-nos um poema lindissimo mas não tenho palavras para lhe dar a força e acoragem de lutar. Esta vida por vezes é madrasta. FORÇA
Nem sempre os poemas são aquilo que vivemos. Muitas vezes descarregamos neles a carga que trazemos e dos sofrimentos vividos.
Zica abra a janela e respire fundo o ar fresco da manhã. Aqueles que partiram, deixe-os seguir a sua viagem.
Escrever ajuda a viver procurando matar a fome com as recordações, a saudade, ajuda a ouvir no silêncio tantas conversas no passado.
Muito bonito o seu poema.

7:34 da manhã  
Blogger Estações da Vida said...

Olá, amiga. Hoje em Fortaleza, depois de um dia de muita chuva, o sol apareceu. E como é maravilhoso ver o dia iluminado! Pois é isso, amiga, depois de uma noite escura, vem a aurora.Que essa aurora surja nos seus caminhos, trazendo-lhe esperança e alegria. Quanto ao meu poema " Esperança", você tem toda razão: o amor tem que ser alimentado, sempre, sempre, caso contrário, fica sem brilho, sem cor, sem vida e pode fenecer...Não consigo conceber uma relação estagnada, com tédio e rotina; tem que haver " tempero", não acha?Fica com Deus, querida. Beijinhos.

3:04 da tarde  
Blogger Nuno de Sousa said...

Lindo momento Zica desde a linda foto ao belo poema que aqui tens... estás de parabéns, adorei.
Bjs e uma boa noite
Nuno

11:45 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Ah... o Amor! Tão belo como a bela rosa que nos ofereces...

Beijinho e boa semana ;)

11:03 da manhã  
Blogger Zica Cabral said...

é a segunda vez que este cavalheiro de nome "Anonimo posta este comentario tão simpatico, em portugues vernaculo de antigo taberneiro.ou carroceiro.
Como, ainda por cima quem o escreveu é tão cobarde que nao se identifica, nem sequer posso agradecer...........
Mas gostaria de saber qual é o gozo que têm em escrever coisas destas e serem agressivos............se nao gosta, nao leia....passe à frente.
A mim diverte-me..........
Gente frustrada Deus meu.............

10:34 da tarde  
Blogger mundo azul said...

_________________________________


Um doce apelo nos versos apaixonados! Muito bonito seu poema!


Beijos de luz e o meu carinho...

Zélia

_______________________________

12:49 da manhã  
Blogger JC said...

Olá Zica!
Bonita a flor. Lindo poema. Poema escrito com muita paixão e muito amor.
Beijinhos

6:01 da tarde  
Blogger mundo azul said...

__________________________________


Passando para deixar um beijo!

__________________________________

10:40 da tarde  
Blogger Estações da Vida said...

Olá, Zica. Amiga, encontrar um amor infinito, pleno, é difícil, mas não impossível. De qualquer modo, você foi feliz, porque amou, ainda ama, foi amada...Como dizia o grande Vinicius de Morais, " que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure...". Abra o seu coração para a vida, para o amor, amiga."Ele" pode estar a caminho...Beijinhos.

5:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home