embeb src= "http://www.anos60.com/adagio/bach_air_on.wma"type="audio/mpeg"autostart"true" loop="true">

sexta-feira, janeiro 13, 2006

A ILUSÃO E O SONHO

A ILUSÃO E O SONHO



Uma breve referencia ao significado de ILUSÃO que faz parte do titulo deste post.


ILUSÃO – ILUDIR – Significa uma crença baseada em sensações não reais ou palpáveis nem reconhecidas cognitivamente. Significa também mentir, a si próprio ou aos outros, inadvertida ou conscientemente.
A ILUSÃO não procura metas nem as pretende atingir, tão só alimenta-se ou é alimentada da não racionalidade.

O SONHO, porém, tem um significado bem mais complexo.

Em todas as épocas os SONHOS ocuparam sempre a atenção dos homens. Desconhecedores das funcionalidades do cérebro não compreendiam a formação de imagens aleatórias geradas quando estavam a dormir, aparentemente inactivos.
Para alguns povos os sonhos eram a chave do conhecimento mágico e espiritual, onde seriam reveladas passagens secretas para factos do passado, presente e futuro. Em psicologia, a análise do sonho foi bastante utilizada como instrumento para o terapeuta, porém nem todas as correntes da psicanálise a usam.


Em primeiro lugar há dois tipos de sonhos :
O Sonho como meta atingir, algo que se deseja e se luta para alcançar , seja a compra de uma casa melhor, de um carro mais potente, entrar para determinado curso universitário ou, qualquer coisa que se deseja mas que ainda não se possui.
E o SONHO cerebral, baseado em sensações reais, vividas anteriormente e cognitivamente aceites como possiveis.
O SONHO cerebral verifica-se na fase REM (rapid eye movements) quando o cérebro desperta da sua letargia e envia mensagens pictográficas, involutárias, de experiências já vividas ou desejadas, não necessariamente coordenadas, hieraquizadas ou cronológicas. Ou seja: podemos sonhar que estamos na Idade Média a conduzir um automóvel que nos levará ao cinema situado no Coliseu de Romano tempo de Julio César. Uma mistura de épocas e tecnologias aparentemente absurdas mas, que fazem sentido se, nesse dia estivemos a lêr um livro da Regine Pernout sobre a Idade Média, fomos ao cinema de carro e, à noite, vimos um documentário sobre o Coliseu de Roma no tempo de Julio César. O cérebro irá misturar todas estas situações sem uma lógica aparente.

Todos os Homens – e que se saiba todos os mamiferos – têm necessidade de sonhar. Sem a fase REM do sono o cérebro sofrerá danos irreparáveis quer ao nível psiquíco quer ao nível físico. Uma criança que não sonhe – ou porque seja impedida exteriormente ou por alguma anomalia interna – sofrerá de atrasos de crescimento, de desenvolvimento cerebral a nível cognitivo e não conseguirá concentrar-se e aprender tarefas básicas. O adulto que fôr impedido, constantemente de chegar à fase REM, começa a ficar cansado durante o dia, perderá toda a energia , deixará de comer e, se fôr muito prolongado poderá levá-lo à morte.

O nosso cérebro compreende três sistemas maioritários distictos:
O sistema Reptiliano – comum a todos os animais
O sistema Limbico – comum a todos os mamiferos
O Neo-Cortex – aparentemente comum aos primatas superiores.

O sistema Reptiliano, tem gravadas as caracteristicas de cada especie
O sistema Limbico, encerra em si todas as sensações e emoções básicas – o medo , a dôr, a tristeza, a alegria, o amor, a ternura e os impulsos de preservação e protecção das especies.
O Neo- Cortex, é a parte racional onde se forma o pensamento abstracto, as noções de estética segundo padrões de cultura da propria sociedade onde se está inserido e todo os sitema cognitivo que permite a aprendizagem não biologica (cultural).
São estes três sitemas, trabalhando em conjunto que comandam o ser humano na sua vida diária.

Os SONHOS são mensagens do sistema Limbico. Na parte emocional do nosso cérebro estão guardadas todas as sensações do que se vive no dia a dia , do que nos emocionou ou impressionou. Do que nos fez sofrer ou ter prazer, ter medo ou alegria.
De acordo com as teorias freudianas os SONHOS são a expressão das nossas frustrações sexuais e sociais. Podendo sê-las também, não se reduzem, porém às frustrações e sim a um espectro mais alargado das nossas emoções.Uma vez que os SONHOS têm origem no nosso interior e são baseadas nas nossas experiências e desejos, qualquer tentativa de interpretação simbolica é altamente especulativa.

Acreditar que sonhar com muitos abacates significa “ amor sem esperança”; com uma abelha “é sinal de prosperidade”; com uma abóbora é “herança próxima ou lucros inesperados”, etc., etc., etc., será tão válido como recorrer a uma pitonisa da Antiga Grécia ou do Império Romano para que leia o resultado das eleições presidenciais nas entranhas de um carneiro, vaca ou galinha.................

As pseudo-interpretações da “simbologia” dos SONHOS ou dos objectos, lugares ou pessoas que neles entram pode levar a caminhos errados, enganosos e altamente perigosos para o equilibrio psiquico e social a quem deles recorre.

Zica Caldeira Cabral - 13-01-2006



8 Comments:

Blogger Flávia said...

Nossa Senhora, Zica! Que momento psico-científico foi esse? Muito bom mesmo, mas inesperado. No início achei que ia sair uma poesia... Adorei o texto, adoro ler e tentar entender nossos comportamentos. É muito complicado essa relação de sonho com a realidade, são tantas avaliações diferentes. Embora eu sempre tente avaliar ou tentar achar o fio da meada pelo lado racional.
Agora, ilusão, tô fora! Apesar de ser muito sonhadora, ilusões não são para mim.
Beijos e adorei seu texto. Inesperado, volto a afirmar.

10:31 da tarde  
Blogger António said...

Bem aparecida, Ziquinha! eh eh
Mas isto agora virou enciclopédia?
Li este texto com muito interesse.
A parte que mais desenvolveste foi a do sonho (cerebral, como lhe chamaste). Já tinha algumas das informações que nos transmitiste.
Mas não falaste numa classificação que eu estudei (e tu também, seguramente) na disciplina de Filosofia que é:
Inconsciente
Subconsciente
Consciente (ou corrente da consciência)
Estas noções encaixam como no que tu escreveste?
Ou já estão ultrapassadas?

Vi que leste o meu post louco da prisão e a blogonovela do Zé Luís.
Quanto ao registo do blog no IGAC é muito fácil. Quando quiseres que te diga como proceder, avisa-me.

(Como está o António?)

Beijinhos

11:23 da tarde  
Blogger Zica Cabral said...

Este post veio a proposito de muita porcaria pseudo-cientifica que eu tenho lido nos ultimos tempos à cerca da Interpretação da simbologia dos sonhos. Irrita-me de sobremaneira a certeza das afirmaçãos perfeitamente parvas sobre o que querem dizer os objectos e as coias com que sonhamos. Muitas vezes as pessoas menos versadas nestes assuntos acreditam nelas piamente e regem a sua vida em função das patacoadas que lhes impingem.
Resolvi como antropologa que sou de formação tentar pôr aqui de forma sucinta o que é e onde se formam os sonhos.
Claro a que não pretende ser uma explicação profunda.
Antonio não toquei na parte da Filosofia evidentemente porque poria o texto demasiado extenso e tb porque a parte que eu pretendia expôr era mais a cientifica que se conhece (ou que eu conheço porque estou há anos um pouco afastada embora continue a ler bastante sobre os processos da cerebralização)
beijkas e obrigado pelos vcs comentários.
Zica
Quanto ao meu ex Antonio (para responder ao Antonio) está melhor embora tenha sido internado outra vez em Sta Cruz porque estava completamente desidratado, não se sabe bem porque. Agora já está em casa dele com o meu filho Francisco a tratar dele e a fazer-lhe companhia. Depois irá outra vez para casa da Domingas quando o Francisco tiver outra vez hospedes em casa porque ele (Francisco) aluga quartos na Serra da Estrela. Os rins estão estacionários e por enquanto não precisa de fazer a hemodialise, desde que se mantenha com a dieta rigida que o nutricionista recomendou. Eu tenho falado quase todos os dias com ele e está muito bem disposto
Obrigado pela preocupação querido Antonio.
Zica

12:05 da manhã  
Blogger JL said...

Obrigado pela visita ao "O Observatório", Zica. Volte sempre. Será bem vinda!

Quanto ao seu artigo, está fabuloso e recordou-me algumas coisas que já havia esquecido e completou outras.
Em todo o caso, como diria o poeta, é o sonho que comanda a vida. Esses, a quem a Zica se refere, não sabem nem sonham...
Um beijo e bom fim de semana

6:44 da tarde  
Blogger TMara said...

olá amiga, sonhar é bom, seja dormir seja acordada,mas essa cosia das interpretações....estou contigo. Bom domingo. Bjocas de luz e paz

12:04 da manhã  
Blogger badger said...

Ois....
Já vão alguns dias que não passava por cá!! Quando apaguei a «minha Toca», perdi o link.... mas com algum esforço consegui cá chegar novamente!!
Na altura constatei que nada de novo tinha surgido...

Agora que volto novamente....
Bem!!! Um texto muito Interessante... muito mesmo!!!
Beijos.... (ainda bem que reaparece

2:15 da manhã  
Blogger José António said...

Olá Zica !

Vim retribuir a visita ao meu Olharapo, sobretudo porque fiquei curioso, pois não é dos meus espaços o mais frequentado. Obrigado.

Li este texto com muito interesse.
Sou um 'fanático' de tudo o que diz respeito ao cérebro humano, no plano científico. Tenho lido com imenso interesse as obras do Damásio e tentado compreender alguns aspectos que possan corroborar a minha 'suspeita' de que tudo - o real - é uma ilusão. Saiu numa Science&Avenir há poucos meses um artigo muito interessante sobre o assunto.
Não cabe agora neste pequeno espacinho de comentário entrar em pormenores sobre isto. É matéria complexa que exige longas explicações.

Agradou-me e lembrou-me algumas coisas.
Ah, e o mais importante de tudo: fez-me REFLECTIR! :)

bjs,

5:24 da tarde  
Blogger Manel do Montado said...

Ora toma lá que é para aprenderes...ela esteve calada este tempo todo a reordenar ideias. Estou deveras satisfeito pela adopção, em paralelo com outras, de uma nova linha de escrita temática.
Há por aí tanto “abexim” a escrever sem sentido que até dá dó, por isso fiquei agradavelmente surpreendido pelo teu ingresso em 2006 a todo o vapor literário.
Adoro ler e espero que leias o que deixei no teu último trabalho, repito, excelente, sobre mitos.
Um beijo

12:03 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home